Previous
Next

Pescaria na Argentina: como tornar esse sonho realidade

Você já sonhou em pescar nas águas estrangeiras do continente sul-americano ou tem curiosidade em saber como é a prática de pesca em outros países da América-latina? Então, continue lendo este artigo, pois selecionamos as melhores dicas para você sobre a pescaria na Argentina!

Pescaria na Argentina: práticas de pesca em nosso país vizinho

pescaria na argentina

Para os amantes de uma boa pesca, a pescaria na Argentina, em especial a pescaria esportiva, oferece o melhor custo-benefício de toda América do Sul para a prática dessa atividade.

Desse modo, o país ganha destaque no conceito dos pescadores e turistas não apenas pelo bom clima constante local, como também pelo conforto e diversas opções de pesca esportiva que a Argentina oferece, tornando-se um ponto turístico incrível para os que buscam tal atividade fora do Brasil.

Dicas de locais para pescaria na Argentina

80% da pescaria na Argentina concentra-se na bacia do Paraná devido ao volume de peixes encontrados ao longo de sua extensão, oferecendo pontos turísticos incríveis para que pescadores e turistas usufruam o máximo de sua estadia.

Veja agora, alguns destes pontos turísticos e o que eles oferecem de melhor!

Corrientes, o ponto central da pesca turística na Argentina

Um local extremamente atrativo sobretudo para a pescaria na Argentina é Corrientes, região com leis locais de preservação ambiental, totalmente apta para o turismo e pesca, sendo assim um ponto turístico de grande interesse não somente pelos pescadores, como também viajantes em geral.

É conhecida também como a Mesopotâmia Argentina e, juntamente às províncias Entre Rios e Missiones, ambas pertencentes ao nordeste argentino, essa região garante aos pescadores uma incrível aventura, principalmente para os que buscam uma pesca por maiores exemplares de peixes – espécies raras no Brasil devido à má conservação dos rios.

Veja agora, os locais mais frequentados para a prática de pescaria na Argentina:

Na província de Corrientes, estão localizadas grandes regiões em pescaria e turismo, sendo elas: Paso de la Pátria, Itaibaté, Itazaingó, Itatí e Puerto Rzepecki.

Alguns desses locais são considerados, portanto, como os melhores pontos de pesqueiros no mundo, possuindo sobretudo espécimes de grande tamanho como o Dourado e o Surubim, esta chega a pesar mais de 60 quilos!
Recorde do pintado completa 19 anos, mas já poderia ter sido superado
Além disso, a infraestrutura dos hotéis destas regiões possui excelência quando se trata de conforto e orientações de ponta aos pescadores viajantes.

Puerto Rzepecki: o local paradisíaco

Muitos pescadores consideram Puerto Rzepecki como um local paradisíaco e privilegiado para a pescaria na Argentina, isto por ser um local que tem apenas um hotel e digamos que os pesqueiros são menos “batidos”.
A verdade é que já pesquei tem todos eles e onde percebi uma diferença grande é Paso de la Patria.
Algumas diferenciações:
Paso de la Pátria está a 30km da capital Corrientes, para quem vai com família ou procura um Casino, ou até mesmo jantar e diversão na capital, é um ponto excelente. O fato de estar próximo a capital é bom neste sentido, por outro lado, é um dos locais onde tem maior movimentação de turistas.
Uma curiosidade sobre Paso de la Patria é que raramente se faz uma pescaria com poucas capturas, já pesquei em todos os pontos do Rio Paraná, acredito que a piscosidade deste local se da por conta da confluência do Rio Paraguai com Paraná bem neste ponto, vale a pena realmente a pescaria em Paso de la Patria.
A cidade de Itaibaté possui mais de 30 (trinta) pousadas com especialização na área de pesca e oferta bebidas geladas, lanches e serviços de almoço em ilhas quando solicitado, é um ponto distante 120km da capital e por isso é bem menos movimentado;
Ituzaingó é a cidade mais próxima da represa, digamos que ao ir para a Argentina é o primeiro ponto de pesca, isso é uma grande vantagem para quem quer viajar menos.
Itaty também é alvo de pesca esportiva, é um ponto excelente, está 35km rio acima de Paso de la Patria, e está a 70km da capital Corrientes.

Torneio de pesca, Concursos, como chamam os Argentinos:

Na maioria dessas regiões, ocorre anualmente os concursos de pescarias denominados: “Fiesta Nacional de Pesca del Dourado” em Paso de la Pátria; “Fiesta de lo Boga y el Pacu” em Itaibaté e a “Fiesta del Integracion del Surubi” em Ituzaingó. Os ganhadores são contemplados com prêmios e em alguns desses locais o evento é registrado no calendário. Pra gosta de competir vale a pena participar, normalmente são festas com mais de 500 embarcações.

As espécies mais encontradas para pescaria na Argentina

A diversidade dos espécimes para pescaria na Argentina é vultosa. E algumas dessas espécies são de maior interesse para os pescadores, como: a Piapara, Piracanjuba, o Pacú e em especial o Dourado e o Pintado, que são os principais alvos da pescaria na Argentina.

Equipamentos utilizados para pescaria na Argentina

Devido à variedade de espécies encontradas no país, existem várias sugestões de materiais e equipamentos para pesca na Argentina. Cada equipamento, para determinada espécie, implica em métodos e suportes diferenciados aos quais o pescador deve se atentar.

Pescar dourado do rio: aprenda 7 dicas incríveis

Separamos então, uma lista com materiais utilizados para a pescaria na Argentina:

Dourado

Pode-se usar tanto molinete quanto carretilha, particularmente acho que o molinete lhe dá uma vantagem, o dourado costumar ser rápido e vir de encontro ao pescador para cortar a linha, as altas relações de recolhimentos dos molinetes podem lhe ajudar, além de proporcionar arremessos mais longos.

Equipamentos

  • Vara: a vara ideal para a captura deste peixe deve possuir entre 30lbs a 40 lbs; o suficiente para fisgar qualquer dourado;
  • Anzóis: aqueles com experiência na pescaria, principalmente pescadores profissionais, recomendam o uso do anzol circular. Entretanto, não acho este anzol  eficaz na captura do Dourado, uma vez que não irá furar a boca do peixe, apenas encaixar, e o dourado tem bocá óssea, raramente se “encaixa” algo, recomendo uso de anzol 1971N 8/0;
  • Linha: particularmente eu pesco assim, e todos os guias que conheço tambem, a linha multifilamento 0,20mm no corrico, para pesca de “rodada” com isca natural, linha monofilamento 0,50mm. Bom, vamos a explicação…O rio Paraná é muito pedregoso, a linha multifilamento não suporta abrasão, quando pescado na rodada o peixe fica no fundo, raspa a linha entre as pedras e estoura o mulfilamento, por isso, na rodada sempre mono.

    No corrico a linha precisa descer fundo, se a linha é grossa, enfrenta resistência da água e nao afunda, ademais, ao fisgar o peixe o motor é acelerado e isso faz com que o peixe suba e não fique nas pedras, acredite, a multifilamento precisa ser 0,20mm, não leve mais grossa pra corrico ok!?

  • Cabo de aço flexível de 1 metro: sua resistência deve abranger 70 lbs;
  • Iscas: naturais você encontrará no local, tuviras grandes, pode-se pescar pequenas piaparas e utilizar fisgadas com dois anzóis, costuma atrair grandes exemplares
  • Iscar artificiais: lá só se usa as famosas Cucú, deixe para alugar ou comprar estas iscas quando chegar ao ponto de pesca. No caso de bait cast iscas de 10 a 12 cm.

Vamos deixar aqui um vídeo do programa Rancho do Pescador para você entender um pouco melhor sobre a pesca de dourados no Corrico.

Pintado

Essa espécie de grande porte pode chegar em até 80Kg. Por isso, é importante que o pescador possua um equipamento resistente. Na Argentina a pescaria de pintados é feita no corrico com iscas artificiais. Os peixes ficam encardumados e a isca enrosca em seu dorso. Eventualmente pescando dourado na rodada você poderá fisgar um pintado, mas a maioria das vezes a pesca de pintado é sempre no corrico.

  • Vara: varas de 7 pés 40lb
  • Carretilha: perfil baixo se tiver grande capacidade de linha ou perfil alto.
  • Linha: multifilamento 0,20mm para que se tenha pouco arrasto na água e afunde.
  • Iscas artificiais: iscas Cucú, fabricante Argentina, deixe para comprar ou alugar no local.

Piapara e Pacú

Agora vamos falar de 3 peixes que normalmente se captura na mesma pescaria e com o mesmo equipamento, são eles, piapara, pacú e piracanjuba.

  • Vara: 1,58 até 2,10m de 20 ou 25lb
  • Linha: mono ou multi, de sua preferencia, eu particularmente uso mono pois a boca da piapara é muito sensível e a multifilamento proporciona uma fisgada muito “seca”, porém ambas funcionam.
  • Anzol:  normalmente se usa chinú ou maruseigo, tamanho compatível com o peixe que se está pescando.
  • Isca: normalmente na argentina existe uma abundancia destes peixes então a pescaria é feita sempre apenas com milho, é o que as pousadas fornecem. Se voce gosta de pescar com minhocas, coração de boi, carangueijo, entre outras iscas existem poucas oportunidades na Argentina, procure providenciar isto com a pousada que voce vai ficar com antecedência.
    Pacu | Best Pacu Destination in Argentina | Nervous Waters
IMPORTANTE: essa espécie NÃO é pescada com iscas artificiais.

Dica: a utilização do girador é importante, uma vez que mantêm a linha sem embolar e não a deixa estragar facilmente.

É claro que, as especificidades de pesca na Argentina vão mais além. Entretanto, para os que seguirem as instruções principais passadas aí acima farão uma pescaria de sucesso.

Piracanjuba

É um peixe muito forte, até mais que a piapara. Quando fisgado, essa espécie costuma pular bastante e deixa a pescaria bem emocionante. Uma boa dica: não se esqueça de sempre usar anzol encastoado nestas pescarias, pois piaparas não cortam linhas, porém piracanjubas e pacus sim.

Pescaria de piracanjuba no encantador Rio Quebra-Anzol

Algumas regras para a prática da pescaria na Argentina

pescaria na argentina

Se você decidir visitar o país e deseja ter uma excelente experiência com a pescaria na Argentina, segue algumas recomendações:

  • O Hotel: o hotel em que você estiver hospedado, será responsável pela providência da licença de pesca.
  • Para pescas esportivas: não é permitido matar pintados e dourados. Devem ser devolvidos ao seu habitat natural logo após sua pesagem e fotografias.
  • Consumo local: é permitido apenas o consumo de bagres, pacús, piracanjubas e piaparas.
  • Oriente-se: procure por um responsável pelas atividades turísticas do lugar, pertinente á pescaria para orientá-lo sobre regras e exigências para se fazer uma pesca sustentável em respeito ao meio ambiente.

Faça então da pescaria na Argentina uma excelente e prazerosa atividade turística, e de grande experiência de uma viagem inesquecível!

Saiba como chegar em: Corrientes, Paso de la Pátria, Itaibaté, Ituzaingó, Itatí e Puerto Rzepecki.

Então se você gostou desse artigo, aproveite essas dicas de pescaria na Argentina, e depois conte-nos sobre a viagem nos comentários!

Veja também:

Pescaria na Amazônia: a pesca na selva amazônica

Cote sua pescaria, aqui você paga o mesmo preço do hotel e ainda conta com vantagens.